Artigos

Artigos

Potencializar o ser

O amor, a compaixão, a alegria e a equanimidade são considerados, no Budismo Tibetano, os quatro catalisadores incomensuráveis do Ser. Quando deixamos eles fluírem, permeando e orientando nosso modo de estar e agir no mundo, trazem equilíbrio e harmonia para nossas atitudes.

Potencializar o ser

Quantas vezes por dia você ouve alguém dizer que errou? E quantas vezes você diz isto para si mesmo? Quantas das suas ações fazem você se sentir errada? Quantas atitudes de outra pessoa fazem você sentir que está errado? Como você se sente, ao se dar conta que errou?

Todos fazemos o nosso melhor para não errar, mas parece impossível não nos depararmos com ações, atitudes, respostas e sentimentos errados. E muitas vezes temos dificuldade em reconhecê-los diante de alguém outro, quando não os ocultamos de nós mesmos.

Potencializar o ser

Costumamos pensar em ‘valor’ como um conceito abstrato, algo mental, que informa as nossas ações. Quando apenas personificamos um valor, ele se torna um personagem em nossa vida, que podemos deixar de lado quando nos for conveniente. Como uma informação que podemos desconsiderar.

Potencializar o ser

Como você se sente quando aprecia e se delicia com a vida? E quando as coisas chegam a você sem esforço, sem cobrança, sem julgamento?

Estamos tão acostumados à idéia de que precisamos nos esforçar para merecer as coisas boas da vida, que nem sempre conseguimos aproveitá-las, quando elas se apresentam graciosamente. É comum as pessoas afirmarem que têm dúvidas quanto a merecerem as coisas boas que lhes acontecem na vida.

Potencializar o ser

Nestes dias de frio intenso, gosto de me recolher mais cedo para debaixo do meu edredom de penugens de ganso, com um travesseiro de sementes aquecido para relaxar os pontos mais tensos do corpo. Descansada, acordo na manhã seguinte, bem antes do relógio mostrar que um novo dia de atividade está para iniciar.

Este é o período que mais aprecio. O espaço formado pelo colchão, travesseiro e edredom está na temperatura perfeita para o meu corpo e me sinto em um abraço maternal amoroso. Lembro-me da deusa egípcia Nut, que tudo acolhe na curvatura de seus braços estendidos.

Compartilhe este conteúdo