Artigos

Artigos

Potencializar o ser

Tenho ouvido com muito frequência pessoas se queixarem de sentir um vazio de significado, de propósito, em suas vidas. Diagnosticadas como depressivas e correspondentemente medicadas, elas mesmo assim não encontram um propósito que as faça quererem sair da cama pela manhã.

Potencializar o ser

Recentemente, uma pessoa me perguntou, porque a maioria das pessoas não consegue viver em sua integridade, quando isto é muito mais fácil e prazeroso.

Minha resposta foi que a maioria das pessoas não sabe quem são verdadeiramente. E acho que isto é de fato o que acontece. As pessoas se afastaram de quem são, para se adaptar às demandas do mundo, adotando o que Jung chamou de ‘persona’. E ficaram tão acostumadas com a máscara, que nem se lembram de quem são em essência. Desconfiam, às vezes, mas não se sentem motivadas o suficiente, para arcar com os riscos de ser quem são.

Potencializar o ser

Não sei no mundo de vocês, mas no meu mundo tudo está em movimento, tudo está em mudança, tudo está em renovação. E apesar disto demandar tempo e disposição, o desconforto maior se manifesta no meu corpo, por onde todas estas mudanças parecem passar.

Potencializar o ser

Quem está no caminho de ser quem é verdadeiramente depara-se frequentemente com críticas de querer ser algo mais ou melhor, de ser ingrato pelo que tem e muitas outras coisas semelhantes. Às vezes, as advertências assemelham-se mais a ameaças ou maldições, do tipo: assim você vai acabar sozinha, ninguém vai gostar de você, e assim por diante. Tenho certeza de que você, que está lendo este texto, poderia contribuir com muitas outras formulações. Sinta-se à vontade para fazê-lo.

Potencializar o ser

Quantas vezes fazemos o que agrada a outros e depois ficamos ressentidas, porque nada aconteceu como gostaríamos. E culpamos outros, porque sentimos que fomos forçadas a fazer tudo para agradar a eles.

Mas, se pensarmos um pouco mais, vamos descobrir que temos nossos próprios motivos para querer agradar a outros, motivos que nem sempre assumimos conscientemente. E, pelo fato de não assumirmos a responsabilidade pelos nossos próprios motivos, culpamos os outros, assim evitando a responsabilidade e nos ocultando por trás da atitude de agradar, como se ela fosse uma virtude.

Compartilhe este conteúdo